Author Archives: Patrício Moura

Basset Hound – Raça de Cachorros

Basset Hound – Raça de Cachorros

A espécie de cachorros Basset Hound foi desenvolvida pra caçar pequenos espécimes, bem como coelhos e lebres, e também é empregada para esse propósito em alguns lugares. Apesar de serem empregados para propósitos de caças, os Bassets são maravilhosos parceiros e, inclusive, adoram a meninada.

Informações acerca da Espécie

O cachorro da raça Basset Hound tem um temperamento tranquilo e aparência nobre. O Basset Hound é um bom parceiro com seus familiares, tal como um ótimo cachorro caçador. Além disso o Basset Hound é um símbolo das propagandas por causa da sua aparência glamourosa. Sua nomenclatura provém do francês “basse” que significa “baixo”. E o Basset Hound é um cão muito pequeno. Seus ossos são pesados e o corpo atlético, geralmente pesa de vinte e cinco quilos a 35. Embora não possua muito mais de trinta e oito centímetros de estatura, são cães compridos com patas bem pequenas. Eles possuem um nanismo denominado “Acondroplasia”, que torna suas patas muito curtas. Esse cachorro irá desejar deitar no seu colo o tempo todo, ainda que quase nunca irá caber muito bem. Por serem cachorros caçadores, eles foram preparados para acossar suas vítimas pelo odor, por isso são excelentes rastreadores. Seu faro sensacional está na segunda posição em se tratando das espécies de cães, encontrando-se atrás apenas do espécime Bloodhound. Estes Basset Hounds têm pelos alisados, curtos e de consistência firme que são levemente fáceis de tomar conta. A quase totalidade deles vem no tradicional padrão três cores: preto, marrom e esbranquiçado, mas ainda pode ser o que se conhece como vermelho aberto e branco (marcas avermelhadas com um pelo esbranquiçado), vermelho fechado e esbranquiçado (avermelhado sólido com patas brancas e rabo), ou amarelado e esbranquiçado. Você é capaz de observar um Basset Hound acinzentado entretanto presume-se que essa cor em cachorros da raça Basset Hound pode estar associada a distúrbios de genes. O Basset Hound tem uma cabeça arredondada com um focinho pequeno e muita pele frouxa na face que deita sobre a sobrancelha, em especial toda vez que o cão encontra-se sentindo algum cheiro. Essa pele frouxa também faz com que estes cães tenham um semblante triste, o que várias pessoas pensam que intensifica sua sedução. Por serem desenvolvidos pra serem cachorros de caça, várias das propriedades dos Basset Hounds possuem um objetivo. Suas orelhas longas e abaixadas rastejam no chão e puxam cheiros, à medida que a pele frouxa em torno de sua cabeça forma rugas que pegam bem mais o cheiro do que encontra-se sendo perseguido. As pernas pequenas deste Basset Hound fazem com que esse cão se mova de forma mais lenta do que cachorros de patas mais longas, o que deixa mais fácil pra os caçadores seguirem o Basset Hound a pé. Seu rabo é longo e possui uma borda esbranquiçada no final, facilitando a percepção do animal pelos caçadores no momento em que estão caçando sobre a grama elevada. Em casa, o Basset Hound é sereno e muito molenga. Ele é leal ao seu proprietário, é amigo e animado. Eles se adéquam com diversos outros tipos de espécimes e inclusive de pessoas, porque, ao longo de sua criação, eles foram criados como bandos. Basset Hounds detestam permanecer sozinhos por longos períodos e são capazes de criar um comportamento desagradável e começar a ganir se forem largados por muito tempo. O seu uivado é capaz de ser ouvido por muitos quilômetros, pois é bem aguçado e incrivelmente elevado. Ele ganha peso rápido e chega, inclusive, a ficar obeso, por causa de seu hábito preguiçoso dentro de casa. Pelo exagero de peso, se não equilibrado, pode acarretar problema de coluna e ainda nas patas. Dessa forma, a atividade física frequente é um dever para Basset Hounds. Porém, mesmo que preguiçosos, eles amam sair pra andar e principalmente caminhar, porque possuem uma ótima intensidade. O Basset ama cheirar, então tenha tolerância quando for sair para andar com ele. Se ele percebe um odor vai desejar acompanhar esse odor e poderá se distanciar caso não se encontre em uma coleira. Dado que são muito resolutos em farejar, eles vão acompanhar o cheiro ao longo da rua e poderão atravessar até mesmo na frente de um carro para irem atrás do odor, podendo se lesionar caso não fiquem presos pela coleira ou em algum jardim cercado. A tranquilidade necessita de ser uma qualidade no momento em que se refere a adestrar um Basset Hound. Caso você possa sugestionar o cachorro dessa raça de que o treino é alguma coisa que ele precisa praticar, o Basset Hound pode ser teimoso e difícil de domesticar. Muitos Basset Hounds acatarão às ordens, mas outros só obedecerão se você possuir uma recompensa apetitosa para conceder a ele. O adestramento de um Basset Hound dentro de casa também é um desafio, mas com calma e persistência, você pode conquistar este problema. Porém não domestique-os exageradamente, o amor e a delicadeza irão ser seus aliados nessa tarefa. Jamais trate eles severamente e com bastante estupidez, porque eles são excessivamente sensíveis e muito impulsivos. Os Basset Hounds possuem latidos singulares. Eles mais ganem que latem. Eles inclusive possuem um ladro distinto e murmurante que usam sempre que desejam atenção ou estão solicitando alimento. Pela persistência eles podem conquistar o que quiser, inclusive petiscos e mimos. De modo geral, eles são bem contentes, divertidos e com ótimo comportamento. Se dão bem com outros cães e criancinhas. No momento em que não acham-se acompanhados, apresentam o lamentável hábito de ganir e salivar constantemente. Se você pode aguentar as características típicas do Basset Hound, ele pode tornar-se um maravilhoso parceiro para você e seus familiares, que vai ficar alegre em divertir-se ao redor da casa, no quintal, tal como se estivesse caçando.

Destaques da espécie

Não é prudente instruir um Basset em sua residência, por causa, em especial, de sua teimosia. Sugere-se treino com caixotes. Se forem capazes de sentir um odor estimulante, Basset Hounds podem procurar segui-lo, não interessa quanto perigo isto reflita. Por conta disso a recomendação absoluta: sempre que caminhar com seu Basset, coloque alguma guia nele. Essa espécie de cães age por si própria e não responde bem às técnicas de treinamento severas. Uma das primordiais razões as quais Basset Hounds são entregues pra serem adotados é por salivarem demais. Devido a pele frouxa em volta da cavidade bucal, eles ainda inclinam-se a fazer bastante bagunça quando ingerem algum líquido. Caso você não goste de cachorros que realizam bastante sujeira e salivam demasiadamente, já sabe: o Basset não é o aconselhado pra você. Eles soltam muitos gases ainda. Mas exageradamente já não é usual. Vá para o veterinário se está acontecendo com uma certa frequência. Talvez seja simplesmente uma modificação na ração. A obesidade é um problema real para Basset Hounds. Eles adoram se alimentar e vão comer além da conta se tiverem alguma oportunidade. Se ficarem obesos, eles podem começar a possuir dores nas costas e nas juntas. A quantia de ração que deve ser ofertada a um Basset Hound difere de acordo com a forma física de cada cão, e não conforme a porção apontada no saco ou lata da ração. Como os Basset Hounds são propensos a ganhar peso, é melhor alimentá-los duas ou três vezes por dia, em porções menores, do que de uma vez só. E não concorde que seu Basset Hound faça atividades físicas com bastante força depois de comer. Não é simplesmente simplesmente comer e está tudo bem. Você tem que olhar se ele está se sentindo bem no momento após a refeição, de preferência por aproximadamente 60 min. Pra não ter problemas de inflamação nos ouvidos, higienize as orelhas do seu Basset de semana em semana. As orelhas tendem a ficar bem imundas pelo motivo delas se rastejarem pelo solo, então tire a sujeira delas frequentemente para que a impureza não se aglomere. Pelo tamanho de suas patas, não deixe que seu Basset fique pulando de alturas consideráveis, pois não é ideal para os Bassets. Percebendo que seu cachorro vai saltar, pegue-o e sustente as suas costas com muito carinho e, então, ponha-o no solo. Crias de Basset Hound podem sofrer certos problemas ao passo que amadurecem. Demostre para o seu Basset que ele não pode saltar de cima das mobílias e do carro. Jamais deixe-o fazer qualquer ameaça de saltar. O Basset não sabe nadar muito bem, justamente pelo peso que possui em sua constituição física, mais de cinquenta por cento está na parte da frente seu pequeno corpo. Faça de tudo com o intuito de que seu Basset Hound não caia em uma piscina, pois ele pode vir a ter problemas e afogar. A fim de evitar constrangimentos porvindoiros, ao obter um Basset investigue a sua procedência. As enfermidades podem ser passadas de raça para raça, por isso confira com o vendedor se, por acaso, o seu cão está em condições de saúde adequadas.

História do Basset Hound

De origem gaulesa, Basset Hounds possivelmente originam-se do St. Hubert Hound, o antepassado do contemporâneo Bloodhound, e nasceram quando uma mudança na linhagem de St. Hubert produziu um espécime de pernas curtas ou anão. Não obstante sua história remeter-se ao intento de caça, justamente pelo seu corpo e suas pequenas pernas, o Basset é capaz de ter sido empregado em primeiro lugar como mera diversão. Encontrou-se no livro de figurinhas a respeito de cães de perseguições, “La Venerie”, do ano de 1585 que tivemos o primeiro arquivo do Basset Hound. Os Bassets Hounds são bem parecidos com os contemporâneos Basset Artésien Normand, muito requisitados atualmente na França. Bastante usados pelas pessoas mais pobres da França para capturar, sobretudo no momento após a Revolução Francesa, na realidade o Basset foi bastante famoso primeiramente entre a classe burguesa francesa. Em meados do século XIX, o Basset foi para a Inglaterra. O primeiro par de Bassets Hounds procriou 5 crias na Inglaterra no período de 1866. Então, no ano de 1874, Sir Everett Millais importou um Basset Hound de origem francesa. Millais promoveu a raça na Inglaterra e iniciou um programa de procriação no seu próprio canil, assim como em assistência com projetos de geração instituídos por Lord Onslow e George Krehl. Por seus empenhos para ganhar publicidade para o Basset Hound na Grã-Bretanha, Millais é tido como o “pai da raça” na Inglaterra. Millais mostrou pela primeira vez um Basset em um show de cachorros britânicos em 1875. Alguns anos mais tarde, a raça ficou ainda mais conhecida no momento em que Alexandra, a princesa do País de Gales, manteve Basset Hounds nos canis do palácio. Em 1882, o Kennel Club na da Grã-Bretanha aceitou a espécie e, em 1884, deu-se origem ao clube da Inglaterra Basset Hound. O Basset chegou às Américas no ciclo colonial, todavia não se espalhou propriamente nos EUA até o princípio dos anos 1900. O American Kennel Club (AKC) começou a assinalar Basset Hounds em 1885, sendo o primeiro, um cachorro intitulado Bouncer, porém foi no ano de 1916 que o AKC admitiu formalmente a espécie. Mas, na América, no fim da década de 20, foi que o Basset teve uma vasta reviravolta. Teve uma narrativa divulgada no periódico Time, onde essa foi provavelmente percebida pelo ponto-de-vista de um cãozinho Basset Hound. Esta revista inclusive pôs a foto do Basset Hound na capa. Logo após essa publicação, o charme do Basset foi encontrado e ele se tornou mais admirado a cada dia. O Basset Houd se introduziu culturalmente com grande estilo na década de 1960 por sua fisionomia. O Basset é tão popular que foi catalogado pelo AKC em vigésimo oitavo de cento e cinquenta e cinco espécies que há no planeta. Isso exprime como o Basset se espalhou pelo mundo. O modo como seus proprietários celebrizam seu carinho pela raça é até complicado de se esclarecer. Milhões de familiares e de Bassets se dirigem a eventos singulares que ocorrem em diversas regiões do mundo.História do Basset Hound

Os Hounds foram originados em uma variação da origem de St. Hubert, a qual deu-se origem a um cachorrinho anão de patas muito curtas. Apesar de sua origem remontar ao intento de caça, devido ao seu porte e suas patas minúsculas, o Basset é capaz de ter sido empregado primeiro como mera diversão. Foi no livro de desenhar a respeito de espécimes de caças, “La Venerie”, do ano de 1585 que possuímos o primeiro documento do Basset Hound. Os Bassets Hounds são bem parecidos com os novos Basset Artésien Normand, muito solicitados nos dias de hoje na França. Os Basset Hounds foram primeiro populares com a aristocracia na França, porém depois da Revolução Francesa, eles tornaram-se os cães de caça dos pobres que careciam de um cão que aguentavam seguir andando, sem possuir acesso a cavalos. Eles chegaram na Inglaterra até metade de 1801 e 1900. O primeiro par de Bassets Hounds procriou cinco cachorrinhos na Inglaterra no período de 1866. Consequentemente, no ano de 1874, Sir Everett Millais introduziu um Basset Hound de origem francesa. Em associação com Lord Onslow e George Krehl, Millais começou a desenvolver a espécie na Grã-Bretanha, tendo um próprio canil para isto. Pelo seus esforços para ter mídia pra o Basset Hound na Grã-Bretanha, Millais é tido como o “pai da raça” na Grã-Bretanha. Millais mostrou pela primeira vez um Basset em um espetáculo de cachorros britânicos no ano de 1875. Ao passo que a princesa de Gales, Alexandra, acolheu determinados cachorros Bassets e preservou-os em um canil da Realeza, eles ficaram bem mais famosos. O clube inglês Basset Hound foi criado em 1884 na Grã-Bretanha. Ainda que o Basset Hound tenha entrado na América, provavelmente, nos tempos coloniais, a raça não se transformou própria nos EUA até o início dos anos 1900. O American Kennel Club (AKC) começou a registrar Basset Hounds no ano de 1885, sendo o primeiro, um cachorro chamado Bouncer, mas foi em 1916 que o AKC legitimou de maneira formal a raça. Contudo, na América, no fim da década de 20, foi que o Basset passou uma ampla virada. Houve uma narrativa contada na revista Time, onde essa teria sido possivelmente percebida pelo olhar de um cãozinho Basset Hound. Essa revista ainda pôs a foto de um Basset Hound na capa. No momento após essa divulgação, o charme do Basset foi encontrado e ele tornou-se mais prestigiado a cada dia. Devido à sua bonita fisionomia, o Basset foi inserido na cultura, de forma geral, mais ou menos na década de 1960. O Basset é tão famoso que foi classificado pelo AKC em 28º de cento e cinquenta e cinco raças que existem no mundo. Isto demonstra como o Basset se alastrou no mundo todo. O modo como seus donos celebram sua afeição pela espécie é muito complexo de se esclarecer. Espetáculos exclusivos para donos de cães da raça são costumes em inúmeras áreas, às vezes trazendo milhões de Basset Hounds e suas famílias.

Tamanho do Basset Hound

Não é simples alçar um cachorro crescido da raça Basset Hound, por isso fique atento disto antes de apanhar um animal desta raça para viver em uma residência com inúmeras escadas. E no momento em que ele se encontrar enfermo e impossibilitado de caminhar: você vai ser capaz de levantá-lo sempre que for necessário?

Personalidade do Basset Hound

O Basset, com sua aparência leve, é incrivelmente divertido. Há apenas uma coisa que mexe com seus sentimentos é uma carreira de faros. Apesar de demonstrar muita brandura, ele está sempre em alerta. Ele é muito birrento, particularmente se não for acertadamente orientado, isto é, no momento em que se usa demasiada severidade ou grosseria. Ofereça a ele recompensas e afago e sinta os resultados aparecerem. Faça com que seu Basset vivencie outras emoções desde filhote: relacionar-se com os demais cachorros, pessoas e odores, desse jeito ele será capaz de se sociabilizar bem mais facilmente. A sociabilização irá ajudar a garantir que seu filhotinho Basset Hound desenvolva-se para ser um cão harmonizado.

Saúde do Basset Hound

Basset Hounds frequentemente são saudáveis, contudo, como todas as raças, são predispostos a alguns distúrbios de saúde. Alguns Basset Hounds irão manifestar as enfermidades habituais à espécie, contudo é bastante importante ter conhecimento delas caso você queira ser dono desse cachorro. Com o objetivo de se adquirir um filhote, exija ao comerciante que lhe dê as autorizações de saúde dos pais dos filhotes que vão ser obtidos. Autorizações de saúde corroboram que o cão foi analisado e está liberto de alguns distúrbios. Dilatação gástrica-volvulus (GDV): denominado ainda torção gástrica ou inchaço, ela pode pôr em risco o estado de saúde do seu cão, em especial se seu Basset é alimentado em grandes quantidades no decorrer do dia, bebem grandes porções de água depois de se alimentarem e se praticam atividades físicas vigorosamente logo após se alimentarem. Há quem acredite que o perfil de alimento que é oferecido ao cachorro também pode ser um motivo que origina o inchaço. Ainda que suceda em qualquer fase da vida, ela é mais constante nos cães mais velhos. A torção ocorre após um aglomeramento de ar ou flatulência no estômago. A volta do sangue ao coração é bloqueada, pois o cão não consegue vomitar ou arrotar para se aliviar do excesso de ar em seu sistema digestivo. O cão entra em choque após a pressão dele despencar. Sem atenção médica rápida, o cachorro pode falecer. Vomita toda hora, saliva abusivamente ou tem inchaço na área do ventre, corra com o seu cão ao médico-veterinário rapidamente. Ele ainda pode estar inquieto, estressado, sonolento e débil, com uma frequência cardíaca rápida. A fim de evitar esse tipo de distúrbio, castre o seu animal, pois existe uma suspeita de que este problema pode ser herdado. Doença de Von Willebrand: Causa uma hemorragia notavelmente grave prolongada e é uma enfermidade genética. Solicite ao médico-veterinário um exame inteiro de sangue a fim de conferir se, por acaso, o seu Basset Hound possui alguma doença de Von Willebrand. Panosteíte (inclusive denominado de Laminação errante ou Transiente): Frequentemente observada em jovens Basset Hounds, essa doença é complexa de relatar. Sem complicações por bastante tempo, os bebês podem superar o quadro até os 2 anos. Pode ser complexa ou leve a claudicação. Por causa da dificuldade dos médicos-veterinários em descobrir o real distúrbio, vários profissionais da área dão diversos tipos de diagnósticos: displasia na anca, displasia no cotovelo, luxação da patela e, também, problemas mais sérios. Se diagnosticado imprecisamente, o veterinário pode querer fazer uma operação no seu cachorro que não é necessária. Requeira a um especialista em ortopedia pra efetuar um check-up, porque é essencial antes de se executar todo tipo de operação indevida. Glaucoma: Basset Hounds são propensos ao Glaucoma, uma situação em que a pressão no interior do olho fica elevada, podendo levar à cegueira caso não seja diagnosticada e tratada desde novo. Ao verificar que seu cão esfrega um ou os dois olhos continuamente, ou que os olhos deles se mostram vermelhos, não hesite em levar o seu cachorro a um veterinário pra um exame mais minucioso. O glaucoma possui enorme chance de proporcionar agravos à retina e ao nervo óptico em questão de horas. Alergias: Os Bassets Hounds são propensos a alergias. Vai-se suprimindo determinados alimentos da dieta do cachorro até que se encontre o real motivador do distúrbio. As alergias de contato são ocasionadas por uma reação a alguma coisa que pega na pele do cão, que nem roupas de cama, pós para pulgas, shampoos para cães ou outros produtos químicos. Elas são tratadas detectando e tirando a causaIdentifica-se a razão e, após isso, tira-se totalmente o que se encontrar fazendo mal a seu cachorro. Luxação patelar: Muito usual em cachorros menores. É causada no momento em que a patela não está corretamente proporcional. Isto causa claudicação na perna ou uma marcha incomum, como um pulo. É uma situação que está presente no princípio, embora o desalinhamento real ou luxação nem sempre ocorra até bem mais tarde. Enfermidade do disco intervertebral: Os sintomas de um problema nas costas incluem incapacidade de se erguer nas patas de trás, paralisia e certas vezes perda do controle intestinal e da bexiga. Quando for segurá-lo, coloque bem sua mão nas costas e na parte da frente do seu cãozinho. Se acontecer um enorme problema, o tratamento pode consistir no uso de remédios, isolamento e ainda uma cirurgia para retirar os discos que estão ocasionando o inconveniente. Em alguns casos, é preciso prender o cachorro a uma cadeira de rodas para cachorrinhos para que ele possa se locomover. Infecções no ouvido: Se o ouvido começar a apresentar cheiros desagradáveis, vá ao veterinário apressadamente, porque isso pode ser um indício de infecção no ouvido. Obesidade: a obesidade é um distúrbio significativo pra raças como Basset Hound. Displasia do quadril: Muitos motivos, incluindo genética, meio ambiente e dieta, auxiliam para esta deformidade da articulação do quadril. Mesmo que diagnosticados, muitos podem conviver facilmente com a doença, os demais necessitam o mais depressa de uma intervenção cirúrgica. Essa é uma circunstância genética em que o fêmur não encaixa adequadamente nas articulações do quadril. Alguns cães demonstram dor e claudicação em uma ou ambas as pernas traseiras, contudo você pode não notar sinais de desconforto em um cão com displasia do quadril. Apenas com o raio-X podemos identificar qualquer tipo de anormalidade em cães mais idosos. Não sugere-se colocar cães para procriar com esta doença. Veja com o vendedor a permissão de saúde, demonstrando que o espécime se acha em perfeitas condições de saúde e não há nenhum vestígio do problema. A displasia do quadril é genética, porém também é capaz de ser ocasionada por agentes ambientais, como o desenvolvimento rápido, uma alimentação de alto valor calórico ou ferimentos acarretados por saltar ou cair em pisos lisos.

Cuidados com o Basset Hound

Nem o calor acentuado ou o frio glacial são convenientes pra o seu Basset. Os cachorros desta espécie ficam inativos dentro de residência, felizes por deitar ao sol ao longo do dia, contudo eles vão gostar verdadeiramente de uma comprida caminhada, com diversos odores para serem farejados.

Alimentação do Basset Hound

Todos os dias o seu cachorro deve ingerir de 1, 5 a 2, 5 doses de ração de boa qualidade, fracionadas em duas refeições. O quanto seu cão adulto come depende do tamanho, da idade, do metabolismo e do grau de atividade. Nem todos os cães, bem como pessoas, precisam da mesma dose de comida. Um cachorro que vive reclinado todo o tempo comumente precisa de bem mais alimentação do que um que se movimenta toda hora. Preste atenção na alimentação: não basta obter ração menos cara para gastar menos, sendo que ela não possuirá os suplementos necessários pra o ótimo crescimento do seu cão, porque se ele ingerir uma ração vasta de nutrientes, ele não vai sentir necessidade de comer toda hora. Todo mundo entende que o Basset é propenso à obesidade e adora se alimentar. Nunca deixe comida disponível todo momento pra ele, deste modo você deixará em impecável forma física e livre de todo tipo doença.

Coloração do pelo e higiene

A impureza e a água são afastadas pela pelagem do Basset, devido a seu pelo pequeno e macio. Seja qual for o clima, a pelagem espessa do Basset é capaz de proteger o cão. Sua pele é frouxa e elástica, proporcionando ao cachorro Basset sua tradicional aparência “enrugada”. Um tom amarelo e esbranquiçado é concebível, contudo raramente é percebido. É bem possível notar Basset Hounds na coloração acinzentada, mas esta cor é indesejável, visto que é o produto de um gene recessivo que foi relacionado a vários distúrbios hereditários. Extremamente fácil de cuidar, apesar da baba em excesso e com o cuidado muito custoso do ouvido e de todas as rugas. Os seus pelos curtos afastam a sujeira e a umidade. Muito raramente você vai perder tempo dando banho em seu cachorro, a não ser que ele tenha se enfiado em uma imundície. Escove o pelo de seu Basset a cada semana e verá que não vai ter nenhum tipo de incômodo com sua pelagem. As orelhas de Basset Hound são longas e arrastam-se pelo chão, o que pode deixá-las bastante imundas. As infecções de ouvidos também são um grande problema, pois o ar não circula bem no ouvido interior. Por causa disso é necessário higienizar a parte de dentro das orelhas do seu Basset Hound ao menos uma vez semanalmente com uma medicação recomendada pelo médico-veterinário. Para higienizar as rugas, use uma flanela umedecida e, então, abaixe-as inteiramente, e constantemente observe as patas para não juntar impurezas e o lado externo das orelhas a fim de não permitir bastante sujeira concentrada. Higienizar os dentes cotidianamente é importante caso você deseje evitar a enfermidade das gengivas e o mau hálito. 1 vez a cada quinze dias corte as garras do seu Basset. Se, ao andar, houver um ruído, então chegou o momento de cortas as unhas de seu cachorro. As garras aparadas deixam as patas em boas situações e evitam os arranhões nas suas pernas sempre que seu Basset Hound pula em cima de você com entusiasmo para cumprimentá-lo. Desde novo, faça com que seu Basset se acostume a ser examinado pelo veterinário e também comece a escová-lo. Manuseie as pernas dele com frequência e olhe dentro da boca e orelhas do seu cachorro sempre que puder. Vá acostumando-o com enaltecimentos e belas guloseimas gratificantes, desse jeito as idas ao médico-veterinário vão ser mais calmas e sem obstáculos.

Crianças e outros animais de estimação

Basset Hounds gostam de crianças pequenas e lidam bem com todas. Mas nunca deixe que uma criança monte em seu cachorrinho, porque a sua coluna é lesionada facilmente, e, principalmente, que elas jamais os aflijam. A toda hora oriente as crianças a não se aproximarem ou pegarem nos cachorros que jamais viram e a todo o momento monitore as interações entre cachorros e crianças pequenas com o objetivo de prevenir alguma dentada ou orelha e rabos puxados. Ensine sua criança a jamais chegar bem perto de qualquer cão sempre que ele estiver se alimentando e a nunca pretender tirar a vasilha de comida do cachorro. Os Basset Hounds desfrutam da companhia de outros cães e, inclusive, são capazes de lidar satisfatoriamente com os bichanos, especialmente se estes animais são mostrados a eles ainda pequenos.

O excepcional pet Samoiedo

samoiedo

As sociedades errantes usaram esta espécie samoiedo há mais de cinco mil anos, na região da Sibéria, embora haja outras interpretações acerca da procedência da espécie Samoiedo. O Samoiedo apenas podia ser percebido entre estas tribos, daí onde seu nome foi criado. Esses povos utilizavam esses cães para puxar trenós, caçar e para o pastoreio.
Os primeiros exemplares da raça Samoiedo aportaram na Inglaterra entre o período de 1870 a 1909, contudo nem todos cachorros eram de raça autêntica. Afirmam que a Rainha Alexandra adorou com tal força da raça que fez muito para tentar promover a raça na sua pátria. Fato é que ainda podem ser encontrados descendentes dos cães da rainha nos pedigrees atuais.
O Grão-Duque da Rússia, Nicolau, herdou de presente um Samoiedo, e esta raça conquistou a América no ano de 1906. Em razão de sua lindíssima fisionomia, sua personalidade amável e sua potência como um cachorro de tração, o Samoiedo vem crescendo a sua fama.

Características Físicas do Samoiedo

Essa é uma espécie que se aparenta bastante a um bicho de pelúcia, seu corpo é bem musculoso com uma musculatura bastante desenvolvida, seus membros são esféricos e amassados com um revestimento peludo bastante denso, a cabeça tem formato de cunha com seus olhos profundos, orelhas de tamanho médio bastante afastadas umas das outras em um posicionamento perpendicular e o focinho é de tamanho mediano com uma tonalidade escurecida.
Seu rabo tomba para qualquer lado, o pelo deste cão é bastante denso e muito belo. Sua expressão facial vem a ser engraçada: no momento em que olhamos para o Samoiedo, parece que ele está continuamente sorrindo!
A pelagem é bem espessa e volumosa, sendo longa, macia e lisa. Sua cor habitual é o branco simples, todavia podemos encontrá-lo em outras tonalidades: branco palha, amarela, amarelada e branco, preto e branco e branco e castanho.

samoiedo

Temperamento do Samoiedo

Essa espécie é bastante extrovertida, fazendo o que consegue com o intuito de deixar todos de fora e sua família sempre contentes! Se familiarizado, ele irá desejar sempre, ainda, dormir todas as noites ao lado de seu dono. As pessoas mais velhas adoram esta raça, pois ela possui uma facilidade em satisfazê-los e deixá-los mais sorridentes e, principalmente, sendo uma companhia pelo resto da vida.
Ainda que dócil, é imprescindível que o Samoiedo faça exercícios frequentes uma vez que é um cachorro adaptado com o serviço intenso. Para você que almeja tê-lo, saiba que esta raça carece de um amplo lugar, visto que eles nunca se dão bem ficando limitados, seja em casas ou apartamentos. Se estressados, eles são capazes de tornar a ser bastante destrutivos, mais bagunceiros, mastigadores de móveis e que irão cavar por todo lugar que for possível.
Pela necessidade de deixar o seu dono mais alegre, eles poderão ser educados, todavia não pense que será simples: eles são muito rebeldes.
Essa espécie possui tendência a ser dominadora e podem não se entender com outros cachorros de estimação!

Vantagens em se ter um Samoiedo

Samoiedos são muito mansos, frágeis, amorosos, habilidosos e estão constantemente com “sorriso” na sua fisionomia! O Samoiedo dispõe de um encanto impressionante, cativando todas as pessoas a sua volta.
Por causa de sua afetividade e amorosidade, o Samoiedo não vai desejar ficar longe de seu proprietário por muito tempo, o que faz com que essa espécie bastante apreciada por todo mundo.
Como esta espécie consegue conviver muito bem com visitantes e convidados, você nunca terá que ficar se preocupando em prendê-lo! Samoiedos são muito afetuosos até com estranhos, eles serão receptivos com os hóspedes dos donos.
Essa raça se conserva bastante limpa por vários dias, mesmo sendo cães primordialmente alvos e muito peludos. Por não terem glândulas subcutâneas, esta espécie não possui um cheiro ruim, que é típico nas demais espécies de cachorro. Você vai ter um gasto demasiadamente menor com essa espécie, especialmente se tratando de limpeza!

Pontos fracos do Samoiedo

Samoiedos carecem de exercícios físicos regularmente, uma vez que são animais bastante ativos e acostumados com trabalho difícil, para se conservarem mansos.
Esses cachorros são bastante dóceis, consequentemente, se você tem necessidade de um cachorro sentinela, olvide o Samoiedo.
Eles são divertidos, porém conseguem ser do tipo brincalhão “teimoso” e tornam-se indomináveis, não submetendo-se às ordens dadas pelo dono.
O Samoiedo é um cachorro muito dominante, não é recomendado ter outros animais de estimação junto dele, principalmente gatos! Contudo, se possuir algum outro cachorro em sua moradia, domestique o Samoiedo desde filhote para respeitar os companheiros.
Este cão vem de pátrias nórdicas geladas e, mesmo se adaptando ao clima tropical, não é indicado submetê-los a condições muito altas.
O Samoiedo costuma largar bastante pelo ao redor da residência em razão da sua troca de pelo.
O Samoiedo revela muitos problemas no que concerne a sua saúde, como: coloração estranha no olho, orelha tombada, ossos desequilibrados, pelagem cacheada, qualidades relativos ao sexo mal especificadas, displasia coxofemoral, podendo se tornar surdos, perigo de nanismo e a retina pode manifestar uma atrofia progressiva.

Como cuidar de um Samoiedo

samoiedo

O Samoiedo é um cão que tem demasiada energia e precisa despendê-la de algum jeito, se você deseja adquirir um cão dessa raça, esteja preparado para passeios diários e bastante diversão! Se você quiser um cão mais disciplinado, adestre-o precocemente.
E se você tem outros animais de estimação, o adestramento do Samoiedo é imprescindível: sem ele você vai ter um cão bem retraído, em especial com outros cachorros.
Esta raça possui a preferência de conservar-se dentro da casa, logo é indispensável que o proprietário instrua devidamente o cachorro com as regras de casa – todavia esteja preparado para uma atividade fastidiosa, pois o Samoiedo é muito teimoso! Toda semana realize a escovação de seu pelo, pois eles vão cair com uma certa frequência se você não o fizer.
Esta espécie é exageradamente inteligente e precisa de demasiado carinho do proprietário, esteja capacitado para dar bastante atenção e carinho a ele.

Filhotes de Samoiedo

Esses filhotes são bem carentes, toda vez desejando amamentar e cochilar muito, sem contar que eles são iguais a umas “bolinhas peludas”! Porém não pense que este período é demorado: em no máximo 10 semanas eles podem estar se divertindo e sendo exímios “desbravadores” por todos os cantos. Esta época é a melhor para que o seu proprietário eduque-o, para que no momento em que se desenvolver não dê trabalho em demasia. Neste período ele está mais propenso a interagir com outras pessoas, sendo mais simples instruí-lo. Logo após os 3 meses o Samoiedo começa a estender a sua dominância e o tratador tem que aprimorar o adestramento de obediência do cão com mais frequência. Após um ano de existência, este cão fica mais inteligente, deste modo o seu proprietário tem que acrescentar mais intensidade no seu ensinamento a fim de conseguir melhores resultados.
Um filhote apropriado necessita ser divertido e bastante bem-disposto. Todos os cachorros dessa raça têm um “sorriso” no seu rosto, com o lábio preto e olho marrom. No que tange às orelhas, não esquente a cabeça, elas só se elevarão logo após os 3 meses de existência. O rabo cai sobre o dorso a partir dos dois meses.

Curiosidades sobre o Samoiedo

O Samoiedo é visto como o cão nórdico mais submisso já conhecido, contudo ele tem um esquisito costume de ficar sempre buscando algo, principalmente nos buracos que ele cava no momento em que está enfadado.
Nos primordios da geração dos Samoiedos, os primeiros espécimes que foram trazidos para a Inglaterra não eram inteiramente brancos. A maioria era de uma coloração canela e ligeiramente menor que a raça original. Alguns destes espécimes eram oriundos de tribos nômades.
O início das importações oficiais de Samoiedos ocorreram em 1893 e o primeiro clube oficial de criadores da espécie se efetuou na década de XX e encontra-se em funcionamento ainda nos dias de hoje.
No decorrer das tempestades de neve, é habitual vermos Samoiedos empregando o rabo peludo para tampar o focinho.
A curvatura de seus lábios dá a sensação de estarem sempre “sorrindo”..